Plano de Atividades

ENQUADRAMENTO ESTRATÉGICO

MISSÃO

Desenvolver soluções biológicas inovadoras para a proteção das culturas mediterrânicas.

VISÃO

Utilizar os conhecimentos científicos mais modernos para, em colaboração com os produtores, as empresas de fitofármacos e de sementes, instituições de investigação da região onde está sedeado e o poder local, resolver os problemas colocados à agricultura mediterrânica pela redução da disponibilidade de princípios ativos e pelo aparecimento de novas pragas e doenças para as quais não existem soluções de prevenção e combate.

VALORES

Excelência institucional;
Cooperação e transparência;
“Problem driven”
Autonomia da programação;
Rigor e eficiência na gestão dos recursos.

INNOVPLANTPROTECT 2020

O ano de 2020 será marcado pelo processo de instalação do InnovPlantProtect em instalações provisórias do INIAV-Elvas.

Esta instalação provisória apresenta diversos componentes fundamentais:

  • Ajuste das infraestruturas à receção de membros do InnovPlantProtect
  • Ajuste das infraestruturas à receção de parte dos equipamentos laboratoriais
  • Início das obras de remodelação das instalações cedidas pelo INIAV para instalação definitiva do InnovPlantProtect.

Do ponto de vista administrativo a instalação do InnovPlantProtect implica:

  • A instituição de todos os procedimentos administrativos formais
  • A contratação de serviços legalmente exigidos
  • A contratação até dezembro de 2020 de 39 colaboradores
  • O estabelecimento dos processos de gestão orçamental e de tesouraria

Do ponto de vista científico e técnico a instalação do InnovPlantProtect implica:

  • A integração dos colaboradores científicos numa equipa coesa e eficaz
  • A identificação dos objetivos tecnológicos a atingir no médio prazo
  • A compilação de informação científica e técnica relevante
  • A submissão de candidaturas a programas de financiamento que permitam completar o orçamento disponível
  • O início da atividade laboratorial em condições provisórias

Do ponto de vista da gestão implica:

  • O desenvolvimento de um plano de negócios ajustado à realidade do InnovPlantProtect
  • A implementação de ferramentas de gestão eficazes

Do ponto de vista da Comunicação implica:

  • O desenvolvimento de um plano de comunicação interno eficiente
  • O desenvolvimento e aplicação de um plano de comunicação para diversos públicos

PLANO DE ATIVIDADES 2020

Eixos de atividade

O plano de atividades descreve de forma sucinta as atividades a realizar durante o ano de 2020.

O ano de 2020 é marcado pelo surto do COVID-19, em particular pela transferência para teletrabalho de toda a atividade do InnovPlantProtect, a partir do dia 13 de Março.

Este plano divide-se em sete eixos principais:

  • Gestão
  • Administração
  • Atividade institucional
  • Instalação de infraestruturas
    • Infraestruturas digitais
    • Instalação de laboratórios provisórios
    • Início das obras de remodelação
  • Cooperação Interinstitucional
  • Ciência e Tecnologia
  • Comunicação

Descrição resumida das atividades por Eixo

Atividades de Gestão

Apresentação e aprovação do Plano de Atividades e Orçamento para 2020
Apresentação e aprovação do Plano de Atividades e Orçamento para 2001
Apresentação e aprovação do Plano de Negócios
Apresentação e aprovação Regulamento Interno
Apresentação e aprovação do Regulamento de Propriedade Intelectual
Apresentação e aprovação do Regulamento de Gestão de Dados
Procura de fontes de financiamento externas ao InnovPlantProtect
Interação com os peritos da Agência de Inovação
Apresentação regular de relatórios de evolução de atividade à Agência de Inovação

Atividades de Administração

  • Criação de modelos de todos os documentos internos
    • Gestão de pessoal
    • Compras e economato
    • Tesouraria
  • Preparação dos concursos para contratação de técnicos e investigadores
  • Contratação de técnicos e investigadores
  • Contratação de serviços

Atividades Institucionais

  • Participação no Conselho Administrativo
  • Preparação mensal de relatório de atividades
  • Preparação do Relatório e Contas de 2019
  • Constituição e Participação no Conselho Consultivo
  • Encontro Anual do InnovPlantProtect
  • Dia Aberto
  • Organização de “farmer trip” ao InnovPlantProtect

Instalação de infraestruturas

Infraestruturas digitais: 

  • Seleção (em cooperação com Professores da NOVA) e aquisição de:
    • Servidores
    • Sistema de Armazenamento de dados
    • Hardware individual
    • Software institucional

Instalação de laboratórios provisórios nas instalações do INIAV

  • Laboratório de biologia molecular
  • Laboratório de microbiologia
  • Laboratório de cultura de plantas

Início e acompanhamento das obras de remodelação 

Cooperação Interinstitucional

  • Visita a Associação de produtores
  • Visita a ESAE, Universidade de  Évora, CEBAL
  • Implementação de Ciclo de Palestras (Cooperação com CM Elvas)
  • Estruturação de um curso de Fitopatologia em Cooperação com a ESAE
  • Estruturação de cooperação com Escola Secundária D. Sancho II
  • Apoio ao júri do Concurso de aquisição de equipamentos para o CVTT

Ciência e Tecnologia

  • Seleção dos binómios praga/doença-cultura a abordar
  • Desenho do programa de trabalho para cada situação escolhida
  • Identificação e contacto com colaboradores nacionais e estrangeiros
  • Submissão de candidaturas a programas de financiamento

Comunicação

  • Desenho e aprovação do Plano de Comunicação
  • Implementação e alimentação de todas as interfaces digitais de comunicação:
    • Página Web; Blogue; Linkedin
    • Instagram; Twitter

Projetos em Desenvolvimento

1 – Rumo ao Melhoramento de Precisão para Resistência do Trigo (Triticum aestivum) à Ferrugem Amarela 

Objetivos gerais 

[1] avaliar a diversidade e agressividade de Puccinia striiformis f. sp. Tritici (Pst), com amostragem em múltiplos campos de trigo em Portugal infectados; 
[2] estudar a estirpe de Pst predominante e mais agressiva através de sequenciação profunda de genoma; 
[3] identificar as vias moleculares que são reguladas durante a interação do Pst com genótipos resistente e suscetível, em condições de baixa e alta temperaturas, em estádios estágios inicial e tardio, através de análise detalhada do transcritoma de ambos os organismos; 
[4] identificar fatores de virulência de Pst através do estudo de sRNA e do proteoma do haustório formado durante estas interações; 
[5] analisar a variabilidade genética de 250 acessos de trigo portugueses e internacionais, através de estudos de mapeamento por associação para identificar QTL associados às respostas do trigo ao Pst; 
[6] desenvolver modelos de predição genómica através de machine learning.

2 – Prevenir e combater a síndrome de declínio rápido da oliveira produzida pela Xylella fastidiosa

Objectivos gerais 

[1] Desenvolver uma “vacina” baseada em bactérias endofíticas da oliveira, produtoras de moléculas orgânicas capazes de conter a propagação da Xylella. Para este objectivo é necessário:

  1. Identificar bactérias endofíticas antagonistas da Xylella
  2. Verificar o efeito antagonista in vitro por inibição natural ou induzida (RNAi ou expressão de proteínas antagónicas)  
  3. Verificar o efeito antagonista em planta em condições de estufa (usando Nicotinana tabacum como planta modelo e oliveiras jovens)
  4. Desenvolver um protocolo eficiente para entrega de “vacina” na planta /campo (em cooperação com parceiros de campo)

[2] Otimizar um sistema remoto para deteção precoce de infeção com Xylella no campo, baseado na recolha de imagens híper-espectrais – Colaboração com a Universidade de Córdova – para criar uma metodologia aplicável e utilizável à utilização de um grupo amplo de stackholders. Para atingir este objetivo é necessário:

  1. Otimizar e simplificar as análises espetrais utilizadas para facilitar o processamento das imagens detetadas remotamente e a aplicação do modelo de transferência radiativa
  2. Superar os custos de aquisição dos dados, testando outras plataformas para obtenção de imagens
  3. Otimizar a gestão da aquisição de dados em larga escala
  4. transmitir o conhecimento aos produtores, fazendo mapas de árvores assintomáticas / sintomáticas e mapas de incidência de Xylella diretamente acessíveis aos usuários finais (aplicativo móvel, webmaps interativos) (em cooperação com parceiros de campo)
3 – Novas estratégias para a prevenção da Estenfiliose em pera Rocha

Objetivos Gerais:

O controle da estenfiliose em pera Rocha poderia ser refinado se: os meios para selecionar cultivares resistentes e/ou tornar cultivares sensíveis mais resistentes à doença fossem conhecidos; métodos rápidos para avaliar o potencial patogênico do inóculo foram disponibilizados; novas estratégias para combater doenças foram desenvolvidas. São objetivos deste projeto:

[1]- Revelar os mecanismos moleculares subjacentes à resistência/tolerância das pereiras à estenfiliose e às estratégias fúngicas para o sucesso da infeção, utilizando a sequenciação dupla de RNA de folhas infetadas das variedades de pera sensível (Rocha) e resistente (Ercolini);
[2]- Elucidar a composição das comunidades microbianas do microbioma dos pomares de pera Rocha (solo e filosfera) usando sequenciação de alto rendimento de produtos de amplificação de genes marcadores e avaliar se comunidades de pomares muito e pouco afetados pela doença podem afetar o desenvolvimento da doença, pno intuito de se identificar possíveis antagonistas microbianos de Stemphylium vesicarium;
[3] – Compreender a natureza da virulência de S. vesicarium e comparar os genomas e transcriptomas de isolados patogénicos e não patogénicos, no intuito de se encontrarem alvos moleculares para desenvolver antagonistas moleculares.
[4] – Utilizar os dados geográficos e do desenvolvimento da doença dos últimos anos (cedidos pelo COTNH e pelo ISA) para criar um modelo mais fidedigno do aparecimento e desenvolvimento da doença na região de produção da pera Rocha.  

4 – Resistência  e /ou prevenção da piriculariose em variedades de arroz

Objectivos Gerais:

[1] Apoiar o melhoramento direcionado com o recurso a marcadores moleculares existentes para aumento da rapidez de seleção dos descendentes portadores dos alelos de resistência
[2] Explorar micro organismos antagonistas como metodologia de controlo/prevenção da piriculariose no campo.

ÓRGÃOS SOCIAIS

Mesa da Assembleia Geral, para o triénio 2019-2021
Presidente
: Federação Nacional das Organizações de Produtores de Frutas e Hortícolas (FNOP), representada pelo Presidente da Direção Domingos Joaquim Filipe dos Santos e pelo Vice-Presidente Gonçalo Falcão Martins Pena Escudeiro.
Primeiro Secretário: Centro de Biotecnologia Agrícola e Agro-alimentar do Alentejo (CEBAL), representado pelo Presidente da Direção Rui Inácio Marreiros.
Segundo Secretário: FERTIPRADO – Sementes e nutrientes, Lda., representada pelo Gerente Pedro Viterbo.

Conselho de Administração, para o triénio 2019-2021
Presidente
: Universidade Nova de Lisboa (UNOVA), representada pelo Reitor João de Deus dos Santos Sàágua e pela Pró-Reitora Isabel Cristina de Almeida Pereira da Rocha.
Vice-Presidente: Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, I.P. (INIAV), representado pela Investigadora Auxiliar Eugénia Maria de Andrade.
Vogais:
Associação Nacional dos Produtores de Milho e Sorgo (ANPROMIS), representada pelo Secretário-Geral, Tiago Vieira da Rocha da Silva Pinto.
Associação Nacional de Produtores de Proteaginosas, Oleaginosas e Cereais (ANPOC), representada pelo Presidente da Direção José Pereira Palha.
Casa do Arroz – Associação Interprofissional do Arroz, representada pelo Presidente da Direção Pedro Alexandre Pereira da Silva Monteiro.
Bayer Cropscience Portugal – Produtos para a Agricultura, Lda., representada pelo Diretor Financeiro Jorge Manuel Nunes da Fonseca Silva.
Syngenta Crop Protection – Soluções para a Agricultura, Lda., representada pela Chefe de Regulamentação e Sustentabilidade Empresarial para Portugal Felisbela Torres de Campos.

Fiscal Único, para o triénio 2019-2021
Isabel Paiva, Miguel Galvão & Associados, SROC, Lda., representada por Nuno Miguel da Costa Tavares (ROC n.º 1582 e inscrito como Auditor na CMVM sob o n.º 20161192).

Conselho Consultivo, para o triénio 2019-2021
[Presidente eleição na próxima reunião do Conselho]
António Lopes Dias
António Sevinate Pinto
Carmo Martins
Fernando Carpinteiro Albino
Francisco Mata
João Silveira Lobo
José Diogo Albuquerque
José Manuel Rato Nunes
José Maria Falcão
José Pimentel Coelho
Lurdes Inácio
Manuel Melo e Mota
Ana Paula Carvalho
Manuel Teixeira Carrondo
Maria Gabriela Cruz

Diretor Executivo, para o triénio 2019-2021
Pedro Fevereiro

pt
en fr de it pt es