Missão

A agricultura é uma atividade crucial para a nossa economia, fornecendo alimentos, matérias-primas, emprego e rendimento. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), a atividade agrícola representa quase 40% do PIB mundial e os bens agrícolas são responsáveis por 43% das exportações mundiais. Uma vez que aproximadamente ¼ da superfície terrestre é cultivada, todos os impactos associados à agricultura têm efeitos universais. Este é um dado particularmente relevante porque, num mundo em que a população global atingirá os 8,3 mil milhões de habitantes em 2030, será necessário produzir entre 35% a 50% mais de alimentos e com menos impactos ambientais, cumprimento atempadamente as adaptações às alterações climáticas.

Mas para o sucesso desse desígnio, é urgente vencer importantes lutas, quer nos laboratórios, quer nos campos. Nenhum outro problema limita tão fortemente a produção agrícola como as pragas e doenças, pelo que conseguir controlá-las é um dos grandes desafios atuais dos agricultores de todos os países. Apesar dos mais de 60 mil milhões de euros anuais gastos com pesticidas no mundo inteiro, entre 30% e 50% da produção agrícola global é destruída pelas pragas e doenças. A região mediterrânica é uma das mais afetadas pelas alterações climáticas e a movimentação de novas pragas e doenças, para algumas das quais não existe qualquer solução conhecida.

Para fazer face a estes problemas, o InnovPlantProtect desenvolve soluções inovadoras de base biológica e plantas resistentes a pragas e doenças, promovendo culturas agrícolas mais seguras, mais produtivas e mais sustentáveis. O nosso trabalho incide sobre os problemas específicos das culturas mediterrânicas, em particular os que resultam da emergência de novas pragas e doenças associadas ao aumento global da temperatura média.

Desenvolvemos os nossos produtos pelo menos até à fase de prova de conceito e as nossas soluções são licenciadas para comercialização. Os conceitos que estamos a desenvolver irão resultar em novos biopesticidas (pesticidas de natureza biológica) contra pragas e doenças, em novas formulações e matrizes para aplicações agrícolas, em novas variedades vegetais com características que permitam fazer face aos desafios da produção, em novos métodos de diagnóstico e monitorização de pragas e doenças, e em novos modelos de risco e de aplicação de biopesticidas. Para isso usamos diversas tecnologias, incluindo sistemas ciberfísicos, robótica/ drones, sensores e inteligência artificial.

A seleção dos problemas a resolver (pragas e doenças) e dos produtos a desenvolver cabe por inteiro aos associados do InnovPlantProtect, que, em conjunto, identificam as prioridades e definem o investimento necessário.

Entre as pragas e doenças emergentes já selecionadas e que são objeto da atividade do InnovPlantProtect estão a ferrugem amarela (no trigo), a Xylella fastidiosa (na oliveira), a estenfiliose (na pera-rocha) e a piriculariose (no arroz).

Outras pragas e doenças que poderão vir a ser objeto da atividade do InPP são, entre outras, a Drosophila suzukii, que afeta vários frutos, a cefalosporiose, uma doença fúngica do solo que ataca o milho, e a traça-da-guatemala, cujas larvas constroem galerias em tubérculos como a batata.

Para nenhuma destas pragas e doenças existe, atualmente, uma solução eficiente no mercado.

Plano de Igualdade e Equidade de Género/ Gender Equality & Equity Plan

Plano de Atividades

Plano de atividades para 2022 (resumo)

O ano de 2022 será marcado pelo início da atividade na sede renovada do InPP. Durante o mês de janeiro serão instalados os equipamentos laboratoriais e será feita a transição dos serviços e da atividade laboratorial para os novos escritórios e laboratórios.

O ano de 2022 será ainda marcado pela eleição dos Corpos Gerentes para o próximo triénio.

Do ponto de vista institucional, o ano de 2022 terá como objetivos:

  • A inauguração das instalações definitivas
  • A eleição dos Órgãos Sociais para o triénio 2022-2025
  • A angariação de novos associados.

Do ponto de vista da gestão, o ano de 2022 terá como objetivos:

  • A conclusão de um plano de negócios ajustado à realidade do InPP
  • A instalação de processos administrativos e de tesouraria para lidar com fontes diversificadas de financiamento
  • A aproximação ao modelo de financiamento previsto pelo regulamento dos Laboratórios Colaborativos de 1/3 de receitas públicas; 1/3 de receitas próprias; 1/3 de comparticipação dos associados.

Do ponto de vista científico e técnico, o ano de 2022 terá como objetivos:

  • A submissão de duas candidaturas ao Horizon Europe
  • A submissão dos projetos “PRR empresas” aprovados em pré-candidatura
  • A procura de outros programas de financiamento para submissão de projetos
  • A angariação de contratos exclusivos para desenvolvimento de produtos

Do ponto de vista da Prestação de Serviços, o ano de 2022 terá como objetivos:

  • A consolidação da marca “InnovPlantProtect” ao nível nacional
  • O início da expansão da marca ao nível europeu
  • A angariação de 5 contratos de serviços

Do ponto de vista da Comunicação, o ano de 2022 terá como objetivos:

  • A manutenção do plano de comunicação interno
  • O desenvolvimento de um plano de comunicação para diversos públicos
  • A organização e coorganização de eventos

ATIVIDADES A DESENVOLVER

  • Gestão e Administração do InPP
  • Procura de novas fontes de financiamento
  • Instalação e funcionamento da sede do InPP
  • Manutenção e ampliação das interações intra-institucionais
  • Procura permanente de cooperação com os associados do sistema científico e tecnológico nacional, na transferência de soluções delineadas para a atividade empresarial, numa perspetiva de complementaridade e de colaboração sinergética
  • Procura permanente com os associados empresariais e associações de produtores na identificação das necessidades de desenvolvimento de novas soluções biológicas e de novos serviços
  • Estabelecimento e manutenção de relações inter-institucionais
  • Relação com a unidade de acompanhamento da ANI e os mentores internacionais
  • Cooperação com a DGAV. Apoio no plano de luta biológica para controlo da Trioza erytreae e participação na task force de Fitossanidade

ATIVIDADES A DESENVOLVER – Projetos

  • XfSTOP – Uma abordagem de gestão integrada para o biocontrolo de Xylella fastidiosa em oliveiras e amendoeiras
  • BlaSTOP – Desenvolver soluções integradas para combater a piriculariose do arroz
  • S2F – Sea to farm – Desenvolvimento de uma plataforma de triagem para selecionar bactérias marinhas como Agentes de Controlo Biológico (BCA, na sigla inglesa) contra diferentes agentes fitopatogénicos bacterianos e fúngicos
  • Sustemicrop (PRIMA) – Desenvolvimento de tecnologias e estratégias sistémicas ecossustentáveis nos principais sistemas de cultivo do Mediterrâneo, contribuindo para a resiliência socioeconómica da pequena agricultura
  • Artificial OESTEFRUTA 4.0 – Agenda Mobilizadora para Fruticultura na Região Oeste
  • WhYRust – Proteção sustentável do trigo contra a doença da ferrugem amarela
  • Insectário – Construir um insectário InPP

  • Infraestrutura com nível de contenção 2

  • MicroLib – Coleção de microrganismos do InPP

  • StawberryBreed – Melhorar a competitividade e a resiliência da produção da cultura do morango em Portugal num contexto de alterações climáticas

  • DIMAP – Um ecossistema digital para gestão integrada de doenças em pomares de pera

  • Suporte de bioinformática e ciência de dados

  • WeatherInt – Banco de dados meteorológico e aplicativo interativo

  • PEST-OUT – Soluções e conceitos inovadores para aumentar a resiliência das culturas contra pragas invasoras

  • AItoPc – IA aplicada a um sistema de previsão e deteção precoce de Phytophthora cinnamomi em montado (projeto de 2 anos)

  • XfVectors – Biologia de insetos picadores-sugadores que se alimentam de seiva xilémica e potenciais vetores de Xylella fastidiosa em Portugal (projeto de 2 anos)

  • XfSurvey – Um aplicativo digital para gestão de dados da pesquisa DGAV de Xylella fastidiosa

  • BlaStop – nano/ microtransportadores para proteger e fornecer pequenos RNA/ peptídeos a cereais

  • InsectERA – A ERA da indústria dos insetos

  • Sea 2 Field – Materiais inovadores baseados em recursos marinhos para aplicação na agricultura (projeto a ser apresentado)