Alunos de Elvas e Portalegre fascinados com as plantas… e a ciência

InnovPlantProtect promove 1º Encontro de Clubes Ciência Viva das Escolas Secundárias do distrito, na semana do Dia do Fascínio das Plantas 2022.

Chegaram curiosos e expectantes, saíram enriquecidos e a quererem mais. Encantados com o que aprenderam sobre as plantas e que desconheciam, e com a possibilidade de visitarem os laboratórios do InnovPlantProtect (InPP), perto de 50 alunos e professores das Escolas Secundárias D. Sancho II de Elvas e Mouzinho da Silveira, de Portalegre, sugerem que este tipo de ações deve ser repetido, com mais escolas e durante um dia inteiro. Da parte do InPP, fica a disponibilidade para organizar o primeiro Dia Aberto do CoLAB, assim que nos seja possível!

“Assistimos a uma palestra muito interessante e ficámos a conhecer os projetos dos Clubes Ciências Viva das Escolas de Elvas e de Portalegre, e depois deram-nos a conhecer as instalações, como os laboratórios”, conta uma das alunas participantes, da área de Ciências e Tecnologia, que apreciou em particular a possibilidade de ver as investigadoras em ação. E sonha um dia ser, ela própria, investigadora. O trabalho do departamento de Formulações e Desenvolvimento de Processos, que se dedica nomeadamente ao encapsulamento de biopesticidas para uma aplicação eficaz nas culturas, foi dos que mais olhares atraiu.

A palestra referida esteve a cargo de Pedro Fevereiro, diretor executivo do InPP, e centrou-se na evolução das plantas e na ação milenar do homem em matéria de alteração genética do mundo vegetal, em particular daquele que nos alimenta. Entre os alunos de Portalegre, a maioria não só nunca tinha estado no Polo de Elvas do INIAV, como nem sabia da sua existência, muito menos da sua história e papel no melhoramento de plantas a nível nacional.

Alcides Silva, professor do 10.º ano do Curso de Produção Agropecuária da Secundária D. Sancho II de Elvas e coordenador do recém-criado Clube Ciência Viva naquele estabelecimento de ensino, gostou da iniciativa, que considerou “importante para os miúdos, porque lhes abre os horizontes e ficam a perceber melhor o que se pode fazer na atividade científica, não só em termos genéricos, mas daquilo que se se faz aqui em Elvas”.

“É também relevante perceberem a importância económica das plantas para a sociedade humana, a importância do homem na evolução dessas plantas, desde a sua forma silvestre até à variante que hoje em dia é utilizada na agricultura, que muitas vezes não se aborda nas escolas ou fica um pouco esquecida”, sublinha este professor. Também Madalena Capela, coordenadora do Clube Ciência Viva da Secundária Mouzinho da Silveira, enalteceu as atividades e o entusiasmo dos alunos. Os dois professores tiveram a oportunidade de apresentar os projetos dos respetivos Clubes Ciência Viva no Auditório do InPP/ INIAV, partilhando experiências e desafios.

Siga o InnovPlantProtect no Facebook, Twitter, LinkedIn e Instagram