Prevenir em vez de remediar? A expansão da Xylella em Portugal

Há pelo menos dois anos que o CoLAB InnovPlantProtect tem pronta uma estratégia para desenvolver uma solução biológica contra a Xylella fastidiosa. No entanto, até hoje, não foi possível encontrar fundos públicos ou privados para materializar este projeto.

Parece contudo inevitável a necessidade do seu desenvolvimento, uma vez que esta bactéria patogénica, que produz uma doença que mata oliveiras, amendoeiras e vinhas, entre dezenas de outras plantas, está já presente em três zonas de Portugal (Porto, Queluz e Algarve) e os seus vetores existem em todo o território.

Quando irá o país perceber que tem de investir já – na realidade, devia tê-lo feito há dois anos – para que esta doença extremamente agressiva não se espalhe pelos olivais e amendoais portugueses? Porque é que não se faz investimento na prevenção, em vez de esperar pelo desastre e deitar então as mãos à cabeça?


Pedro Fevereiro, CEO do InnovPlantProtect, Professor Catedrático Convidado, ITQB NOVA

Fotografia do principal inseto vetor da Xylella fastidiosa e micrografia da bactéria

Siga o InnovPlantProtect no Facebook, Twitter, LinkedIn e Instagram

pt
en fr de it pt es